Cocaína com sargento da FAB é avaliada em R$ 5,6 milhões


A Espanha avaliou em cerca de R$ 5,6 milhõesos 39 kg de cocaína encontrados com o 2.º Sargento da Força Aérea Brasileira (FAB), Manoel Silva Rodrigues, em aeronave militar durante escala em aeroporto da cidade de Sevilha, como membro da comitiva de apoio à viagem do presidente da República, Jair Bolsonaro, à cúpula do G-20, em Osaka, no Japão.

Segundo o jornal espanhol El País, a Guarda Civil da Espanha investiga qual era o destino dos entorpecentes e por qual razão o militar estava carregando os 37 pacotes dentro de uma mala de mão.

As autoridades não descartam que a cocaína ficaria na Espanha e avaliam que Silva poderia ser uma “simples mula de uma organização de traficantes”, conforme alertado pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

Após ser detido, o sargento teve a prisão provisória decretada por um Tribunal de Instrução de Sevilha, sem possibilidade de fiança, acusado de crime contra a saúde pública, que é como o Código Penal do país descreve esse tipo de delito.

Nesta sexta-feira (28), durante encontro com o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, na cidade japonesa de Osaka, Bolsonaro agradeceu o país europeu pela posição no caso envolvendo o militar brasileiro.

“Aproveitei para agradecê-lo pelo modo como as autoridades espanholas estão lidando com o caso dos entorpecentes apreendidos em avião da FAB e reafirmei minha defesa por punição severa para o tráfico”, afirmou Bolsonaro.